O II ENAFE e o CD Emaús Floripa 10 anos: uma história

*Para ouvir a fita (CD) Emaús Floripa 10 anos clique neste link.

Parte I – O II Encontro Nacional de Folclore de Emaús

O II ENAFE (Encontro Nacional de Folclore de Emaús) aconteceu em Florianópolis, em 1983, no Morro das Pedras. “Folclore” era o nome dado aos Cantores de Emaús naquela época.

maristela2.jpegPara nós, jovens cantores de Florianópolis, foi uma enorme alegria poder receber tanta gente talentosa de outros Secretariados, poder partilhar experiências e, principalmente, sentir mais de perto a “vibe” musical do Movimento de Emaús, que incluía desde a batida característica do violão até a espiritualidade e a alegria inerentes à música de Emaús. Como forte referências musicais, tínhamos os Secretariados de São Paulo e de Sorocaba. Mas não ficavam muito atrás os Secretariados de Porto Alegre e Pelotas.

O festival do II ENAFE bombou. Florianópolis participou com algumas músicas, interpretadas por praticamente todo o grupo, tudo executado com grande sinergia (caprichamos nos ensaios pois não queríamos fazer feio). Mandamos fazer camisetas especiais e tudo.

enafe

Naquele tempo eu e o João, estudantes de engenharia, também participávamos do Coral da UFSC (desde 1980, início do namoro). Daí surgiu a ideia de indicar ao casal Presidente do nosso Secretariado, Hermínio e Denise Vieira, o nome do Maestro José Acácio Santana, regente do Coral da UFSC, para fazer parte do corpo de jurados do festival.

joseacacio.jpg

Faz-se necessário um parênteses para citar o hoje saudoso Maestro Santana porque ele, ao aceitar o convite, conheceu o Movimento de Emaús de perto, vindo a marcar, para sempre, a trajetória musical do nosso Secretariado. Com efeito, ele ficou encantado com o que viu: a contagiante musicalidade e a jovial espiritualidade dos membros do Movimento. Entusiasmou-se tanto que, durante os dias do II ENACE compôs uma linda Missa de Chegada, especialmente dedicada ao Movimento, presenteando-nos com ela.

Essa Missa de Chegada foi tocada por mais de 15 anos aqui em Floripa. O refrão ainda ressoa no peito:

“…O coração ardia enquanto a mesa estavam….”

Além disso, o Maestro Santana também nos presenteou com a Via Sacra de sua autoria, adotada por nosso Secretariado desde então, até os dias atuais, fazendo parte da nossa tradicional Encenação da Paixão de Cristo.

Por conta da nossa prática coral, o João e eu arriscávamos de vez em quando a compor pequenos arranjos vocais nas músicas do Emaús, um tenor ali, um contralto aqui, logicamente mais uma influência musical do Maestro Santana. No início, os cantores estranhavam e se atrapalhavam ao nos ouvir cantando em vozes diferentes da melodia principal.

Mas, aos poucos, alguns outros também contribuíram para que o canto polifônico se tornasse fecundo por aqui. Essa “característica musical” particular do nosso Secretariado, iniciada no antigo Folclore de Floripa, deu frutos e reverbera até os tempos de hoje. Podemos dizer que o som dos “Cantores Manezinhos” é uma mistura da “musicalidade raiz” do Secretariado de SP com a “musicalidade coralística” do Maestro Santana.

Depois desse parênteses, voltemos ao Festival do II ENAFE. Ficamos encantados com a performance musical do Folclore de Sorocaba!

Com efeito, vieram 3 cantoras de primeira linha Thereza Urban, Maria Imaculada Cassetari e Lúcia Helena Graziosi, cuja interpretação, com suas vozes perfeitamente harmoniosas, muito nos inspiraram e nos inspiram até hoje. Era um deleite escutá-las ao lançarem sucessos como: “Santo de Sorocaba”, “Silêncio de Amor” e “Exemplo de Maria”.

O II ENAFE foi o celeiro fecundo de muitos outros clássicos do Movimento, em nível nacional. Músicas lindas que permanecem ao longo da história do Movimento. Além das acima citadas podemos destacar ainda:

“Pai Nosso” (Sec. Fpolis), “Despertar” (Qual a cor da vida que você cultiva – Clausura – Sec. Sorocaba), “Aldeia de Emaús” (Era uma Estalagem – Sec. de SP), “Entrega à Maria” (Filho, eis aí tua mãe – Sec. Fpolis), “Se você quer sentir a presença” (Sec. de POA), “Sou Cristão” (Sec. de POA), “Hino a São João Batista” (Sec. de Fpolis), “Ave Maria” (Sec. de Fpolis), “Valor de um Sorriso” (Andei muito tempo por aí – Sec. de Sorocaba), “Poema para o meu Senhor” (Sec. de Sorocaba), “Sacrário Vivo” (Sec. de POA), “Despertar” (Com gesto Seu, fez-se a terra e o mar – Aberta – Sec. de SP), “Sempre Juntos” (O mundo está repleto de pessoas – Sec. de SP), dentre muitas outras.

Áudio de “Sacrário Vivo” (CD 10 Anos Emaús Floripa):

Havia dois tipos de premiação: um para a modalidade “música de clausura” e outro para a chamada “música aberta”. Mesmo sendo tão jovens, imaginávamos quão difícil seria a tarefa dos jurados. Enfim, podemos assegurar que a premiação foi um mero detalhe ante o festival de belíssimos clássicos lançados naquele II ENAFE. Na alma uma certeza: tivemos a honra de participar desse lindo e histórico momento.

Matando a curiosidade, na modalidade “clausura”, venceu a música “Entrega à Maria”, do Secretariado de Fpolis, de autoria da “tia” Tânia Schaefer. Em segundo lugar ficou “Exemplo de Maria” (És exemplo de humildade, de Fé e Perseverança) do Sec. de Sorocaba. Na modalidade “aberta”, venceu a música “Poema para o Meu Senhor” (Senhor, às vezes sentindo no rosto…), do Sec. de Porto Alegre. Em segundo lugar, classificou-se a música “Sacrário Vivo” (Senhor que vieste, em meu coração habitar), também de Porto Alegre.

Uma música passou “despercebida” pelos jurados mas não à nossa alma de jovem sedento de Deus: “Rosas Vidas” (Se compararmos a vida a um jardim…), de Jorge H. A. Wamser, do Secretariado de Mariana (MG). Trata-se de um poema de um pai que perdeu seu filho recém-nascido, que emocionou a todos. Por isso, essa música foi uma das escolhidas para fazer parte da Fita K-7 de 10 anos de Emaús em Floripa.

Áudio de “Rosas, Vidas” (CD 10 Anos Emaús Floripa):

Parte II – A fita dos 10 anos de Emaús Floripa

Sim, a Fita dos 10 de Emaús foi um lindo fruto do II ENAFE. O “pós- ENACE” nos rendeu o coração ardendo e o entusiasmo a mil, emoções próprias dos jovens de Emaús. Estávamos prontos para externar todo o aprendizado e experiência musical armazenados até aquele momento. Eis que recebemos um convite muito desafiador do Casal Presidente: lançar uma Fita em comemoração aos 10 anos do Movimento na nossa cidade.

Foram intermináveis reuniões dos jovens cantores com o casal coordenador do folclore e do projeto, o Beto e a Bela Fialho Ramos. Desde a seleção dos cantores, aqueles que estavam dispostos a participar dos exaustivos ensaios, até a escolha do repertório possível (músicas abertas, com permissão de gravação por parte dos autores). A escolha do repertório, curiosamente, não ficou restrita aos clássicos do Movimento de Emaús e nem exclusivamente às músicas do II ENAFE. A Fita foi um resumo do momento que vivíamos naquele momento. E com certeza, estávamos vivenciando um momento “Acaciano”, ou seja, de forte influência do Maestro Acácio Santana.

Por isso, a decisão final: um lado da fita (sim a fita era um dispositivo com gravação em dois lados, hehe) seria de músicas do Movimento de Emaús, com ênfase em autores locais, e o outro lado seria de músicas do Maestro Santana, com arranjos vocais obtidos das partituras cedidas pelo próprio Maestro. Aliás, qual foi a nossa alegria quando ele nos cedeu o direito de gravação de suas músicas”! Tivemos sorte pois, anos depois, o Maestro vendeu o direito autoral de suas músicas às Irmãs Paulinas, o que, certamente, teria dificultado a cessão do direito de gravação ao Movimento de Emaús.

Áudio de “Este teu Olhar” (CD 10 Anos Emaús Floripa):

Além do casal coordenador-administrativo do projeto, tínhamos também um coordenador técnico, responsável pelos ensaios: o meu namorado (hoje esposo), João Carlos dos Santos. Como ele era o único que sabia “ler partitura”, repassava a melodia de cada naipe vocal para os cantores: 2 contraltos (Bella e Elaine), 2 tenores (João e Roberto Jung), 2 baixos (Valmor e Ayr Santos), 2 sopranos (eu e a Beta Faraco). Registre-se a participação da nossa querida Fafá (Maria de Fátima Mello) em algumas músicas. Também havia exímios instrumentistas, que abrilhantaram os trabalhos: Maurício Nunes da Silva, Valmor Rabelo, Ayr Santos, e o Flautista Tarcísio (me fugiu o sobrenome).

A gravação ocorreu no Estúdio do “seu Osni”, no Estreito, e as músicas foram gravadas como se fossem uma apresentação “ao vivo”, com todos cantando simultaneamente. Se por um lado isso ajudou muito na interpretação do conjunto, prejudicou um pouco a parte técnica, pois não houve uma “equalização” adequada das vozes.

Finalmente, a fita nasceu no ano de 1984, ano dos 10 anos do Emaús em Floripa. Podemos dizer que foi um grande sucesso, tendo sido distribuída em todos os Secretariados do Movimento, tocada nas rádios e sendo levada inclusive para outros países. Também nos dias de hoje o sucesso perdura, sendo as músicas ainda frequentemente executadas no Movimento, em nível nacional.

Desnecessário dizer que o II ENAFE e o Maestro Acácio Santana influenciaram e inspiraram a nossa atividade de jovem de Emaús naqueles tempos e também o projeto da Fita dos 10 anos do Emaús em Florianópolis.

Por último, podemos destacar mais um fruto desses tempos vividos, que foi a perpetuação de grandes amizades e parcerias musicais entre os cantores daquela época. Como exemplo, podemos citar o Grupo Clave de Fé, que surgiu na década seguinte à gravação (e perdura até hoje) tendo seus membros participado da gravação da Fita dos 10 anos (com exceção da Malu) e também do CD dos 25 anos.

Enfim, dando Glórias a Deus por tudo, vem-nos à mente uma verdade:

“Emaús é uma Canção, que arde e queima o Coração”

Seguem as músicas gravadas, e novamente o link para acesso a fita (CD):

Lado A (músicas do Movimento):
Prece à Maria, Onde Andará Deus (O Deus que Vem), Rosas Vidas, Canção para Cristo, Ave Maria, Eu só confio no Senhor, Hino dos 10 anos e Sacrário Vivo.

Lado B (músicas do Maestro Santana):
Meu Deus e meu Santo, Procura, Benditos os pés que Evangelizam, Vamos subir à Jerusalém, Sentido da Vida, Bem-Aventurados, Este Seu Olhar, Põe a Semente na Terra e A Saudade vai Ficar.

Obrigado a todos que fizeram e fazem parte dessa história!

maristela

Maristela Linhares dos Santos

Engenheira eletricista, servidora pública aposentada, coordenadora dos Cantores do Movimento de Emaús. Esposa do João e mãe do Léo, Geórgia e Fernanda.

Clique aqui, siga o Blog Reflexão Católica no Instagram e fique por dentro dos novos Posts!

Uma opinião sobre “O II ENAFE e o CD Emaús Floripa 10 anos: uma história”

  1. Fiz o 189º Emaús Masculino de São Paulo em outubro de 1984, e essa fita é uma referência musical e de vida para mim até hoje. Inclusive hoje encontrei essa sua postagem pesquisando sobre a música “Meus Deus e Meu Santo” – uma vez que tento fazer de “Com Deus eu nada tenho a temer, pois Dele é que provém meu viver” uma jaculatória para repetir nos momentos de aflição.
    Já conhecia o Movimento de Emaús. Um dos meus irmão fizera anos antes, e inclusive chegou a passar uma semana de férias em Florianópolis na casa do Mons. Bianchini. Tive a honra de conhecer alguns membros do então ‘Folclore’ de Florianópolis quando vinham a SP.
    Muito bom ler estas memórias.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s